Compositor imaruiense divulga seu trabalho nas ruas de Curitiba

Nas ruas do centro de Curitiba, como em qualquer grande cidade, é possível encontrar muitos músicos. E em Curitiba quando se ouve um Rock com pitadas de Blues, pode ter certeza que é o som do imaruiense Diego Raimundo. Diego é da mesma família, e descendente, de um famoso compositor e cantor regionalista brasileiro, o imaruiense Pedro Raymundo, famosos no país inteiro por canções como “Adeus, Mariana”. No repertório de Diego Raimundo há a canção “Saudade de Laguna”.

Diego começou cedo na música. “Eu descobri meu interesse pela música com 12 anos de idade, quando vi um amigo tocando violão e aprendi a solar o Parabéns Pra Você, e após 2 anos, já com 14 anos de idade, que eu fui ganhar meu primeiro violão, a partir daí eu comecei a estudar a música”, conta Diego.

Porem Diego Raimundo percebeu que deveria sair de Imaruí para espalhar sua música. “O que me levou a sair de Imaruí foi a questão tradicionalista, o povo de Imaruí é muito do vanerão e da dança de salão, e musicalmente eu fui mais influenciado pelo rock n´roll e pelo blues, o que era incompatível com a cultura local. Eu não tinha o publico para minhas músicas”, explica.

Depois de sair de Imaruí Diego Raimundo passou quatro anos em Caxias do Sul, depois foi para Florianópolis onde fez parte da banda “Charlotte Rock”, porém a banda acabou, mas já havia decidido que queria viver da música, com isso começou suas andanças pelo sul do país, em Santa Catarina ele tocou por Balneário e Laguna, em Rio Grande do Sul, Diego já tocou por Caxias, Porto Alegre, São Marcos, em Paraná ele já tocou em Curitiba, Quatro Barras, São Paulo, Capital, Punta Del Diablo e Montevideo, no Uruguai e em Buenos Aires, na Argentina. Mas Diego afirma que o objetivo neste ano ainda é levar sua música para mais lugares.

Para Diego sua música tenta “abrir os olhos das pessoas para a realidade do cotidiano que passa desapercebido, dos problemas das grandes cidades, das crianças dormindo na rua, e misturar isso com a poesia”. Seu primeiro álbum trata sobre política, subjetividades como “Reto no Concreto”, e amor como “Paz da Minha Guerra”.

Gustavo Rato e Diego Raimundo

Diego relata que a vida de músico nas ruas das grandes cidades é interessante pelo grande número de contatos, e da interação das pessoas que estão no corre-corre do dia a dia, que param e aproveitam a música para sair um pouco da rotina. Ele se sente gratificado por tocar sua música e fazer as pessoas mergulharem no conteúdo de suas letras e assim refletirem, para que isso possa transformar a vida delas.

Diego Raimundo conta ainda com a parceria do percussionista lagunense Gustavo Luiz Rato, Luiz Paulo Matias, de Imaruí, e Ralf Rodrigues Staehler, de Caxias do Sul, ambos parceiros de letras e arranjos. Gustavo Rato afirma que teve como influência para iniciar sua carreira musical os imbitubenses da Mary’s Secret Box, do Rafael Freitas, Mário Silveira e Leandro Silveira.

Ele já tem um álbum produzido totalmente de forma independente chamado “Variações”, que é uma coletânea de músicas compostas entre 2006 e 2014, e nos próximos meses, no máximo em setembro, lançará um DVD. Com isso pretende divulgar seu trabalho pelo país.

 

 

 

 

 

Por Lucas Francisco Gonçalves

Comentários