Escola Maria Correa Saad está em estado de calamidade e enfrenta graves problemas

 

Nesta terça-feira (6), mais de 400 pais compareceram na reunião organizada pela Associação de Pais e Professores (APP), da Escola de Educação Básica Maria Correa Saad, no Campo D’una, para tratar dos problemas relacionados às questões estruturais da unidade escolar que precisam ser resolvidos. Estudam no Saad cerca de 850 alunos do ensino fundamental e médio.

Participaram do encontro executivos da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Laguna bem como representantes da Gerência Regional de Educação (Gered). Foram apresentados os graves problemas que afligem a escola. Todas as salas de aula do piso superior estão impossibilitadas de serem utilizadas por pane na rede elétrica. Além disso, a Vigilância Sanitária do município lacrou a caixa d’água por má conservação.

Os pais deram prazo de três dias para que a Gered apresente uma solução, no primeiro momento, para a regularização da parte elétrica, para que as salas possam voltar a ser utilizadas. A gerência já se mostrou interessada em antecipar as férias de julho, a partir da próxima segunda-feira (12), para que, em quinze dias, eletricistas possam consertar os problemas na fiação.

Os pais estão convictos de que, mesmo sem a antecipação das férias, não devem levar os filhos para a escola sem que as demandas sejam sanadas. Pais, alunos, professores e servidores da Escola estão há anos esperando soluções para os problemas estruturais que afetam a unidade escolar. A situação piorou nas últimas semanas, quando, com as intensas chuvas, houve infiltração na rede elétrica, provocando curto circuito nas salas de aula da parte superior. Por medida de precaução as salas foram isoladas, e os alunos remanejados para a parte inferior. Na semana passada, um ofício foi encaminhado pela Associação de Pais e Professores (APP), ao governo do Estado, informando que a Maria Correa Saad, encontrasse em situação de calamidade.

Segundo Anderson do Rosário de Campos, o Maninho, presidente da APP, os problemas com a parte elétrica se arrastam há anos. O presidente explica ainda que a Gerência Regional de Educação (Gered) de Laguna garantiu os recursos, mais de R$ 280 mil, no fim de 2016, para realizar uma reforma geral na unidade, inclusive, segundo ele, a Gered informou que uma licitação foi feita.

Sobre a reforma da escola, o presidente da APP disse após a reunião que a Gered prometeu que deve cancelar a licitação que está em andamento e buscar alternativas para agilizar o início das obras. “Segundo eles, o recurso de R$ 280 mil já está liberado e agora, com as assinaturas dos pais, devem solicitar o cancelamento dessa licitação e tentar o processo de tomada de preço”, explica.

Além de todo esse transtorno, na sexta-feira (2), a Vigilância Sanitária do município esteve visitando a escola e, ao fiscalizar a caixa d’água da unidade, teve que lacrar o local até que fosse realizada uma limpeza. “Além de eles encontrarem um gambá morto no local, detectamos uma fuga de energia junto à água, por pouco uma mãe que retirou o animal morto não foi eletrocutada”, desabafa o presidente da APP. Mediante a interdição, um grupo de pais e moradores da comunidade realizou a limpeza na caixa d´água para que as aulas pudessem ser retomadas.

Caso os assuntos da reunião não sejam resolvidos, os pais pretendem realizar uma manifestação na próxima segunda-feira (12), às 18 horas, em frente a unidade. Muitos pais se mostraram descontentes com a atuação da direção. A diretora titular está afastada por problemas de saúde e mesmo quando estava à frente da unidade, alguns pais reclamavam. “Muitos pais se manifestaram contrários a gestão escolar e cobraram da gerência a realização de uma eleição para escolha de uma nova diretora. Uma chapa deve ser formada e estamos realizando também a eleição do Conselho Escolar, que tem poder deliberativo e deve ajudar a APP na luta por melhorias”, comenta Maninho.

 

Fonte: Notícias In Foco

Comentários