Eurico Borba: Manifesto à nação

(acredito que com o apoio milhares de cidadãos e cidadãs, mas com uma só assinatura…)

Com o silencio do Diretório Nacional do partido, nós sociais democratas fundadores do PSDB em 1988, declaramos nosso profundo desapontamento com a possibilidade de alguns companheiros estarem envolvidos neste inacreditável esquema sistêmico de corrupção, que destroçou o Brasil. Esperamos que, imediatamente, eles se licenciem dos seus cargos e aguardem o pronunciamento final do Poder Judiciário, dispensando o fórum privilegiado, acelerando o processo de investigação. Não se trata de um pré-julgamento, mas um gesto político de oferecer uma satisfação e um exemplo de dignidade aos militantes tucanos e ao povo brasileiro. Exigimos que esta mesma atitude seja adotada por todos os demais políticos citados na lista divulgada pelo Supremo Tribunal Federal.

Agindo assim, coerente com os princípios sociais democratas, o partido testemunharia ser a agremiação politica com que sonharam Franco Montoro, Mario Covas, José Richa e Almir Gabriel, entre tantos outros ilustres brasileiros.

A Social democracia, corrente politica oriunda da vertente socialista do final do século XIX, com sua central preocupação de priorizar o social – os mais pobres e excluídos – não aceita a corrupção nem bandidos travestidos de políticos, sejam eles quem for. Seu maior compromisso é com a democracia, a liberdade, a justiça e a paz, num permanente compromisso com o aperfeiçoamento do estado democrático de direito e com a promoção do bem comum.

A social democracia não aceita a estatização dos meios de produção e o cerceamento da liberdade, mas garante que o Estado jamais será apropriado pelos empresários, muito menos por um pequeno grupo de empresas – “um capitalismo de amigos”. Com a gravíssima crise sócio-politica-econômica que vivemos, que se agrava a cada dia, nossa atual preocupação maior é com a garantia da liberdade de imprensa e a integridade da Constituição e das Leis, interpretadas e explicitadas pelo Poder Judiciário sob a liderança do Supremo Tribunal Federal.

Afirmamos que o atual Congresso Nacional não tem mais nenhuma condição moral para votar as necessárias reformas da previdência, politica e trabalhista. Por tal motivo, apoiamos a recente tese oferecida de convocação de uma Constituinte exclusiva, com a finalidade de organizar, aperfeiçoar e dar sentido à Constituição de 1988, tais o numero de emendas que recebeu. Assim sendo, a convocação de eleições gerais, também a serem realizadas neste ano, é mais uma obrigação que se impõe para a nossa conturbada e vilipendiada Republica.

Providencias devem ser tomadas de imediato. O Brasil está se transformando num país ingovernável. Caso nada seja feito é prudente considerar a hipótese de o povo nas ruas, sofrido e desempregado, ofendido e raivoso, se levantar numa rebelião anárquica e violenta contra o caos a que os atuais políticos, corruptos e incompetentes, nos conduziram.

Nas horas de cansaço e desilusão com as atitudes de alguns e de confusão politica sobre o que fazer para restabelecer a “ordem e o progresso”, nos resta a doutrina social democrata que permanece pura no seu humanismo e ideal libertário, o farol seguro da nossa honesta militância.

 

Eurico de Andrade Neves Borba, 76, cidadão, filiado ao PSDB que ajudou a fundar em 1988, mora em Caxias do Sul.

Comentários