(In)versos – Poematizando

Liliane Maria Inácia. Professora.
Amante de café, frio, livros, filmes dramáticos e fotos reveladas.
Associo músicas a momentos e escrevo sobre todas as coisas que me (ins)piram.
E-mail: lilmonitora@hotmail.com

lili

Então a gente aprende a insistir nas pessoas certas, a confiar em um número ímpar e acreditar – e pedir – os conselhos e o colo de mãe.
Começamos também a não nos importar com o que as pessoas pensam sobre nós, mas passamos a nos preocupar com as coisas que nos fazem pensar sobre elas.
Magoamos aqueles que dispuseram de tempo nos acolhendo e somos magoados por aqueles que tanto admirávamos.
Desconfiamos dos nossos sonhos e depositamos fé em erros.
Desacreditamos dos contos de fadas e vivemos à espera do príncipe encantado.
Por pouco ou destino, tantos se perdem de nós.
Amigos ou apenas conhecidos? Já não cabe a mim, julgar.
Pré-conceitos nos movem e nos fazem falar o que não devemos, quando o que está explícito e bonito, calamos.
Não sei, mas me parece que alguns valores estão invertidos, desviados.
Que pena, ainda “somos tão jovens”.

Lilly Maria

Para o tempo, o teu tempo e senta ao meu lado. Me conta histórias, suas histórias. Me fala sobre teus dias, o que tens vivido, assim, tão distante de mim.
Senta aqui, te sirvo um café e te ouço falar. Pode falar das tuas saudades e ansiedades, do teu emprego, das conquistas, chateações e de tudo o que vem te roubando noites de sono. Me conta qualquer coisa, mas me deixa saber de ti. Me diz coisas que não entendo e que não sei explicar.
Podemos sair, conhecer algum lugar, almoçar ou jantar. Se quiser, pode me abraçar, chorar, dizer que sentiu minha falta. Também senti a sua e sonhei com esse tempo. Para esse tempo, só um pouco. Nem sabemos quanto temos dele ainda, então, doa um pouco pra mim. Me traz você, me dá um pouco mais de lembranças ao seu lado. Traz sua história e um pouco do seu tempo, eu espero.”

Lilly Maria

Comentários