Projeto escolar visa conscientizar sobre o meio ambiente

De 5 a 9 de junho é realizada a Semana do Meio Ambiente em todo o Brasil. Em Imbituba, um projeto voltado à conscientização e busca de práticas para preservar o meio ambiente é realizado pela Escola Estadual Básica Visconde do Rio Branco, de Araçatuba. Criado em 2013, o projeto, Oficina de Consciência Ambiental (O.C.A.) em 2017 atuará em duas frentes: formação de um movimento de alunos voltado para a transformação do espaço escolar a partir das práticas da permacultura e ofertar cursos na área de agroecologia e educação ambiental.

A permacultura é um sistema para criação de ambientes humanos sustentáveis e produtivos em equilíbrio e harmonia com a natureza. Para mostrar na prática como funciona, o Projeto O.C.A realizou no último final de semana uma Oficina de Introdução à Sustentabilidade. Realizada na Morada Ekoa, a oficina ofereceu mini cursos de permacultura, bioconstrução e agroecologia e contou com a participação de alunos, professores e pessoas engajadas nesta maneira de viver em favor do meio ambiente.

No curso os participantes aprenderam a base para realizar construções com produtos da natureza, compostagem, realização de hortas, etc… “É preciso discutir mais sobre estratégias e ações para se trabalhar de maneira mais harmoniosa e próxima da natureza, independente da nossa formação profissional, todos podemos adotar em nosso cotidiano uma vida mais justa, criativa e divertida. Trabalhando com o que a gente tem prazer, produzindo, gerando alimentos, qualidade de vida e recursos financeiros. Nosso Planeta está precisando com urgência que a humanidade mude a forma de trabalho, que essa relação seja de menor exploração e que o esforço dos nossos trabalhos traga algo positivo para nosso planeta e que semeiem exemplos, encorajando  outras pessoas a encontrarem esses caminhos”, destaca o professor Dante Targa Vasudeva, idealizador do Projeto O.C.A.

Algumas observações do projeto é de que as pessoas tem perdido gradualmente a consciência individual em ser integrado ao meio ambiente, não tendo práticas individuais simples. Segundo o projeto é preciso mais contato direto com a natureza, o trabalho com a terra e o reaproveitamento de materiais, aliados a reflexão constante e profunda sobre os hábitos e suas consequências para o meio ambiente.

“Preservar a natureza vai muito mais além de não desmatar ou não poluir os rios, etc. Em verdade, estas ações nem sempre estão diretamente ligadas ao nosso cotidiano, de modo que temos a impressão de não estarmos incluídos nas práticas predatórias que ameaçam o equilíbrio do planeta. Contudo, todos nós, sem exceção, temos a nossa parcela de responsabilidade, uma vez que todas estas práticas ocorrem, por um só fim comum: A produção e o lucro. Assim, é na hora das compras que mais podemos fazer a diferença na preservação do meio ambiente, boicotando sistemas de produção que põe em risco a natureza e incentivando as práticas que a preservam, como produção orgânica, agricultura familiar, reaproveitamento de materiais, etc. Repensar o consumo exige o constante diálogo e observação de nossas práticas diárias, bem como a disponibilidade e paciência para transformar velhos hábitos”, destaca Dante.

Outro fato importante mencionado pelo projeto é com a alimentação de hoje em dia. No ritmo acelerado da vida moderna, a crescente cultura da Fast food negligencia a alimentação como um processo de conexão com o natural, de interdependência com relação aos processos da natureza. “Vegetais, frutas e legumes produzidos pela terra transformaram-se em meros ingredientes associados a inúmeros conservantes, corantes e enriquecimentos vitamínicos de eficácia duvidosa. Mais recentemente, a produção de alimentos transgênicos interfere no próprio desenvolvimento da vida vegetal, com consequências ainda ignoradas para nossa saúde. Cada vez menos os jovens conhecem as variedades de vegetais e cereais disponíveis para uma boa alimentação. Assim, parte do caminho de volta a uma vida mais integrada com o meio ambiente passa, sem dúvida, por uma reflexão sobre nossos hábitos alimentares, bem como a informação aberta e desmistificada sobre como é produzida industrialmente a nossa comida”, ressalta o Professor.

A saúde também tem ligação importante com o meio ambiente, “a saúde e a doença mantém uma ligação direta com o meio em que vivemos e como nos relacionamos com ele. O tratamento da água, a origem de nossos alimentos, nossos hábitos diários, a falta de atenção às mensagens do corpo e até o modo como encaramos a vida e seus obstáculos são alguns dos elementos que compõe uma noção ampliada de saúde, de extrema importância para o desenvolvimento de uma nova consciência ecológica”, diz Dante.

O projeto continua durante todo o ano letivo com atividades na própria escola como gestão dos resíduos orgânicos (compostagem), manutenção da horta escolar e revitalização do espaço escolar.

 

Comentários